11ª câmara Cível do TJ/MG observou discrepância de mais de R$ 100 mil entre os valores.