A juíza concluiu que a funcionária se sentiu desamparada, desprotegida e humilhada diante da conduta da empresa.