Projeto “Justiça para os inocentes” da OAB/RJ mostra que 70% dos acusados injustamente por falhas no reconhecimento fotográfico são negros.